DETECÇÃO E ALARME

ALARME E SINALIZAÇÃO


 

Todo sistema de Alarme deve ter duas fontes de alimentação. A principal é a rede do sistema elétrico da edificação, e a auxiliar é constituída por baterias, nobreak ou gerador, estas devem ter autonomia mínima de 24 horas, para indicações sonoras e/ou visuais, com tempo necessário para o abandono da edificação. A sinalização de emergência tem como finalidade reduzir o risco de ocorrência de incêndio, alertando para os riscos existentes e garantir que sejam adotadas ações adequadas à situação de risco, que orientem as ações de combate e facilitem a localização dos equipamentos e das rotas de saída para abandono seguro da edificação em caso de incêndio.

FUMAÇA E TEMPERATURA


• Este sensor trabalha com dupla detecção : Fumaça e Temperatura. • O sensor aciona o sistema de alarme ou de incêndio quando a temperatura do ambiente • atinge 57 graus Celsius OU detecta a presença de fumaça. • É comumente utilizado em sistemas de alarme ou de incêndio.

GASES E CHAMA


• É um sistema de segurança inteligente configurável e distribuído que fornece detecção de gás e/ou chama, junto com sinalização de alarme, notificação, disparo de agente extintor, e/ou operação de aspersão. Todos os componentes do sistema estão integrados numa rede de comunicação digital à prova de falha.

• O sistema é ideal para as aplicações industriais abrasivas que requerem um sistema de proteção avaliado para localização perigosa.

POR ASPIRAÇÃO


• Tecnologia de ponta para uma detecção fiável • o detector gera um vácuo nos tubos de amostragem para permitir uma entrada de ar continua a partir das áreas monitorizadas

• estas amostras de ar obtidas de forma activa são encaminhadas através de uma câmara de detecção com sensor óptico sensível, para verificação da existência de partículas de fumo

• a seguir, um processador inteligente de sinais analisa os dados medidos e decide se existem alguns padrões típicos de incêndio

• os efeitos ambientais susceptíveis de provocar falsos alarmes são suprimidos

• sensibilidade muito elevada com fonte de luz de alta potência (High-Power Light Source – HPLS)

POR CABO LINEAR


• A detecção linear de calor é feita por cabos elétricos, cujos fios “termopar” em seu interior são fabricados para se fundirem a determinadas temperaturas, de 57º até 350º Celsius, fechando um curto circuito que causa no Painel de Controle um comando de alarme e disparo do sistema de supressão.

• Com os cabos lineares de calor, se consegue uma detecção de alta confiabilidade nos locais aonde não é viável a instalação dos detectores convencionais ou inteligentes, como bandejas de cabos, correias transportadoras, salas e cubículos elétricos, túneis, etc.

POR FEIXE


• Para a proteção de grandes áreas abertas, com tetos altos e/ou inclinados, nas quais os detectores tradicionais de fumaça operam com mínima eficiência.

• As aplicações ideais dos detectores do tipo FEIXE são armazéns logísticos, estacionamentos fechados, áreas de armazenagem, hangares de aeronaves, e outros locais com o teto alto e grandes espaços.

• Os detectores do tipo FEIXE são instalados em lados opostos, de um lado um transmissor de feixe luminoso e do outro lado, alinhado ao transmissor, um refletor desse feixe luminoso. Quando a fumaça sobe e impede o feixe luminoso de alcançar o refletor, a falha é acusada e o detector envia um comando para o painel de alarme e disparo. Para evitar alarmes falsos, há condição de se regular a sensibilidade em até quatro níveis.

Open chat