SUPRESSÃO POR ÁGUA

ÁGUA NEBULIZADA


 

O sistema de água nebulizada utiliza uma válvula de dilúvio, equipada com sprinklers abertos (bicos spray). Nesse processo, a tubulação permanece seca (dry pipe), até que a válvula de dilúvio seja ativada pelo sistema de disparo. O sistema pode ser ativado tanto manualmente como eletricamente (detecção) ou ainda por uma linha piloto com sprinklers fechados.

• Neste caso, quando o sistema de dilúvio é controlado hidraulicamente, é necessário que esse sistema de atuação esteja equipado com sprinklers automáticos que atuarão como detectores.

• Esse sistema hidráulico funcionará abrindo a válvula de dilúvio, no momento que ocorrer um incêndio, permitindo a entrada da água na tubulação. A mesma sairá pelos bicos nebulizadores.

• Em caso de incêndio, o sistema hidráulico de atuação (linha piloto) é despressurizado, quando algum dos dispositivos é ativado. A câmara principal da válvula dilúvio perde pressão mais rapidamente do que é fornecida pelo orifício de restrição. Assim o diafragma abre, deixando que a água passe para a tubulação e também para os dispositivos de alarme, acionando, dessa maneira, o gongo hidráulico e ativando também o pressostato de alarme.

HIDRANTES E MANGOTINHOS


• O sistema de hidrantes e de mangotinhos é considerado um sistema fixo de combate a incêndio, funcionando sob comando, liberando um jato de água sobre o foco de incêndio. Esse jato de água possui uma vazão calculada e compatível ao risco do local visando proteger, controlar ou extinguir o foco de incêndio no seu estágio inicial.

• Dessa forma, esse sistema possibilita o início do combate ao incêndio pelos usuários da edificação antes da chegada do grupamento do Corpo de Bombeiros. Os hidrantes em edificações e áreas de risco diferem dos sistemas de hidrantes urbanos em relação a forma de abastecimento de água.

• Os sistemas urbanos apresentam pontos providos de registros e uniões de engate rápido, ligado a rede pública de abastecimento, podendo ser de coluna ou subterrâneo, enquanto que os sistemas prediais apresentam pontos de tomada com registros e uniões de engate rápido, magueiras, esguichos e chave storz onde está ligado ao reservatório de água da edificação e não na rede pública.

• Para melhor desempenho do sistema é essencial que os usuários estejam familiarizados com o equipamento, confiantes e que tenham realizado treinamento teórico e prático de brigada para utilizá-lo na ocorrência de um sinistro.

Open chat